Não Cole o Platinado!


Platinado: É o nome dado a um conjunto de peças que abre e fecha o circuito de ignição. Sua função é distribuir a energia elétrica para as velas na queima na mistura ar/combustível nos cilindros.
"Colar o Platinado" , "Queimar o fusível", "Perder a cabeça", "Virar o Disco", "Surtar", "Rasgar Dinheiro".... Enfim...

 Há 4 meses atrás, estava eu, de namorado novo, desmaiando na saída de um hospital, lembro que aquele mês estava sendo realmente um mês muito difícil, meu ex-marido fazendo "birras" porque eu estava namorando, mudando de humor a cada 5 minutos, e eu tentando manter a linha, somatizando todos os problemas - os do mundo, os dele, os do trabalho e os meus - Minha coluna travou de tensão/stress, uma dor absurda nas costas... Decidi ir no hospital sozinha - afinal não existe mulher mais "cabra macho" que mulher co-dependente né não? rs - passei no namorado - sei lá porque passei, acho que era só pra arranjar mais um problema pra somar, brigamos e no fim ele decidiu que iria comigo no hospital - Foi a sorte! Entrei no hospital e logo fui atendida, tomei uma injeção que mais pareceu-me o capeta do que uma injeção... Saímos do hospital e na espera pelo carro, a pressão baixou e a Cicie veio ao chão feito purê de batata!


Pois é... colei o platinado!!!! 
Eu nunca havia desmaiado, surtado sim.... Desmaiado? NUNCA!


E depois disso, eu ainda tive acho que mais duas somatizações de sentimentos, mas aprendi...


Aprendi de novo que não adianta fazer cara de que está tudo bem se não está...
Aprendi que eu preciso demais de uma amiga, de uma madrinha, de um grupo, de alguém para ouvir minhas partilhas...
Aprendi que se não consigo ser assertiva com alguém não quer dizer que eu deva ficar calada, pelo contrário devo falar, conversar e expor minhas idéias à outra pessoa, pedir ajuda para conseguir ser assertiva com aquele terceiro...
Aprendi que se eu não desabafar eu explodo! Viro o disco!
Aprendi que se eu não cuidar das minhas emoções o meu platinado esquenta, cola, e queima mesmo viu!

Uma das coisas mais importantes que eu descobri nessa virada de ano, é que as idiotices e estupidezas que as pessoas fazem com suas vidas, não são pessoais, não são formas ou estratégias mirabolantes para me afetar.

Pelo contrário, em mim pode ser que "respingue", mas quem acaba na merda na pior, não sou eu, é a própria pessoa, eu posso escolher ficar lá ao lado da pessoa - me enchendo de "respingos", ou posso me afastar, não preciso entrar na merda na pior pra salvar ninguém!!!
Posso oferecer ajuda, jogar uma corda, chamar um médico, dar um conselho, incentivar, ser COMPANHEIRA... ou vestir meu maiôzinho de Co-dependente, e pular junto... me atolar até o pescoço... e tentar ser HEROÍNA....
Me desculpem, mas isso não é amor... isso é PREPOTÊNCIA!!!
Quem ainda acha que pode "salvar" alguém do mundo das drogas está iludido por uma concepção errônea de amor.
Nessa hora, ouço minha madrinha questionando : " Então você é contra a internação involuntária?"
Não... Não é isso... Aliás sou a favor, nos casos em que o dependente químico não responde mais por ele mesmo! Nos casos em que a droga já lhe causa uma dependência tão grande que uma crise de abstinência pode levá-lo a morte (você já viu uma crise de abstinência?)



Uns anos atrás, o filho da minha madrinha recaiu, ficou mais ou menos uma semana desaparecido, usando, drogas sabe lá onde,  eu, num sábado, decidi ir lá na casa dela, ver como ela estava, se já havia obtido notícias do filho, enfim, fui lá conversar um pouco, fazer companhia, afinal só quem já passou por isso sabe o quanto a gente se sente perdida nessas horas.
Chegando lá, na hora que botei os pés na casa dela, percebi que eu não havia chegado numa boa hora - digo numa boa hora para mim! - percebi a porta do quarto entre aberta, dois companheiros do N.A - o padrinho dele e mais um grande amigo (grande mesmo, tipo 2x2) - minha madrinha serena (por fora), fazendo uma mala. Na hora que botei os pés lá, pensei : "PQP! E agora?" - Eu não participei da "reunião de convencimento" quanto meu ex marido foi internado,  e até aquele dia eu não havia visto ainda uma pessoa sendo levada para a Reabilitação (quando meu ex-marido foi internado eu estava viajando e o meu pai o levou para a clinica, optei por não ir, pois sabia que aquilo não me faria bem!).
O filho dela estava transtornado, olhos opacos sem nenhum brilho, desfigurado, roupas sujas, cara de maloqueiro - malandro. Com um pau na mão ele pedia para não ser internado, e os companheiros tentavam convencê-lo do estado em que ele se encontrava. Ele chegou a me pedir dinheiro para comprar a "ultima dose" antes de ir pra clínica.
Depois desse episódio, passei por mais alguns, somos uma familia por aqui, então quando um companheiro de Nar-Anon me liga pedindo ajuda para internar um familiar, ou quando algum companheiro de N.A nos liga para ajudar a confortar uma familia nessa hora, a gente sempre deixa o que está fazendo e corre ajudar.
Mas essa primeira experiência não vai sair nunca da minha cabeça! Por isso que acredito na internação involuntária, mas por isso que também acredito que devemos saber o quão perto devemos nos aproximar psicologicamente de alguém mentalmente abalado.
Hoje eu estou bem, equilibrada, serena, mas sou do tipo que se não estiver preparada, esse tipo de relacionamento tóxico me abala demais, e naquele dia eu não estava preparada - avisada, por isso se você não se sente preparada, ou não quer buscar ajuda para si mesma, por favor, se afaste...
O comportamento doentio de um co-dependente associado ao comportamento insano de um dependente químico na ativa não ajuda ninguém a se recuperar, só traz mais sofrimento e dor, só aumenta o saldo de mágoas e agressões!

"Viva e Deixe Viver!"

3 comentários:

Anônimo disse...

Excelente!!
Adorei!
Viva e deixe Viver sempre...

Te amo

APR

VALEU A PENA disse...

Amada Cicie, esses ultimos dias estava sem fuçar no meu e nos blogues amigos, acabei de ver essa postagem e amei, caracas, como aprendo com você!!! Viva e deixe viver!!! Amo você!

Bella disse...

Caracaa,tô chorando aqui,tu e teus textos que me emocionam e me ensinam muitooo.Eu estou neste processo de desapego rsrsrsrsrs me afastando de todo e qualquer problema,basta só os meus que não são poucos.Em relação ao meu adicto tentando me desligar,descobrir que queria sempre ser a certa,dar conselhos, era dona da verdade,ouvia tanto isso e achava que estavam sendo injustos comigo,e hoje admito que era mesmo,ou que sou sei lá,pois ainda estou em processo de mudança e sei que é a longo prazo,passo a passo,conta gotas rsrsrsr,mas o mais importante é que estou no caminho neh?
Viva e deixe viver,aprendendo a cada dia colocar esse lema em prática!
Xeroo nega!

 

··¤(`×[¤Cicie e Ana¤]×´)¤··

"Insanidade é fazer as mesmas coisas, esperando resultados diferentes." Descobrimos que sozinhas não conseguiríamos, mas que com pessoas que buscam as mesmas vitórias, nos sentimos mais fortes,menos solitárias, e mais conectadas com nosso Poder Superior. Um dia de cada vez a gente junta um ano.

Free CSS Template by CSSHeaven.org TNB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...I