Ruim é bem bom...Não na hora, depois!




Hoje minha filha decidiu "quebrar relações" com a vitamina que ela toma todo dia, essa vitamina ajuda a suprir as necessidades diárias  dela de vitamina, além de abrir o apetite o que na minha opinião é o principal fator pelo qual insisto que ela tome a bendita, porque os unicos momentos que me estresso com ela são os momentos de "papar", ela come de tudo: de lasanha à jiló (não que jiló seja delicioso, mas é que a mamãe aqui sabe cozinhar muito bem - rsrsrs), mas come feito um passarinho, e isso me preocupa muito (Ok! Eu admito... sou mãe neurótica e exagerada... Daquelas que assisti Super Nany-tenho a cadeirinha do castigo aqui em casa- compra livros sobre educação, controla a tv, compra livro infantil pra dar de presente ao invés de brinquedo, pesquiso sobre Kumon, Judo, Escoteirismo....kkkkkk). Mas o caso é que na tentativa de convencê-la a tomar os "infinitos" 2.5ml de vitamina soltei a inspiradora e confusa frase acima:
"Ruim é bem bom... não na hora, depois!"
Preciso dizer que caímos na gargalhada? Bom, no final deu certo! Mas isso me fez lembrar do que ouvi várias vezes das pessoas que me ajudavam nas horas difíceis de tomar uma decisão : "Nem sempre o que é bom faz bem, e muitas vezes o que é Ruim faz Bem..."
Minha vó era do tipo de pessoa que acreditava que quanto mais ruim o remédio era, melhor ele fazia pra gente, então cresci sendo uma criança que tomava Chá de Boldo ao invés de Eparema, que já tomou óleo de fígado de bacalhau, e que quando se machucava não chorava por causa do machucado e sim porque sabia que alguém ia aparecer com o temido "alcool com mentruz" - rs quem já sentiu calafrios ao ver um chumaço de algodão embebido com um liquido verde sabe do que to falando, o negócio fazia a gente implorar por merthiolate!kkkk. E era minha vó que falava assim: "Ruim é bem bom...mas não na hora... depois"
Nesses dias eu tenho vibrado com muitas amigas aqui, escolhendo por elas mesmas, decidindo cuidar de si mesmas, percebendo que não dá pra cuidar do outro e cuidar de si mesma ao mesmo tempo, quem dirá quando a história vem com filhos, faculdade, emprego, e etc. Me identifico também quando vejo tanto familiar perguntando se deveria "abrir mão" do familiar doente, muitas vezes me perguntei se eu deveria viver essa historia que eu vivi, muitas vezes me perguntei se eu merecia viver sobre a sombra de uma recaída, ou viver sempre com a magoa de ter sido algumas vezes "trocada" pelas drogas, sim, eu tinha muita mágoa, e ainda tenho um pouco sim, mas isso e o motivo é assunto pra outro post.
Quando me pegava/pego com essas questões, com esses medos e neuras sempre busco alguém pra partilhar, pra pedir conselhos, assim como a gente faz aqui, e o retorno é sempre o mesmo: "O que é melhor pra vc?"

"Escolha pelo que vai ser melhor para vc, mesmo que nem sempre o melhor seja o mais Bom, o mais fácil..."

Passei pelos tempos insanos da adicção ativa, pela espera solitária e difiícil da internação, pelos caminhos tortuosos, sinuosos e calejantes(?!rs!?aurélio?) da recuperação, passamos pelas duvidas corretas e pelas certezas erradas! E porque? Porque eu decidi que seria melhor viver isso tudo, juntos, porque ele escolheu que seria melhor viver isso comigo e não sozinho! E também vivemos viagens, trocas de fitas e trocas de fichas, dividimos com o outro as duvidas sobre escolher o padrinho de recuperação, discutimos sobre os passos, dividimos reuniões de aniversário de grupos, temáticas, amigos, festas, e tivemos muitas alegrias e diversão sem uma gota de alcoól ou uma grama de droga.
Foi muito bom, e muito ruim também, nas horas em que a vida teve um gosto amargo eu pude aprender o que era Desligamento com Amor, Controle emocional, Auto-piedade, Honestidade e Só Por Hoje - e quando era pior que suco de jiló, aprendi o que era" Só por Agora!".
Foi dificil tomar a decisão que o melhor para mim era se separar, porque da mesma forma que a adicção ativa é contagiante, e afeta de uma forma unica a vida de quem passa por ela ou perto dela, a jornada da recuperação é algo que marca a gente, e também de uma forma unica, a gente descobre que não é utopia e que existe sim, um Amor Incondicional, aquele que aceita a gente da forma que a gente chega e que ao final do encontro ainda diz : Continua voltando!!!rs
Por que era o melhor para mim? Por que me separei?
Talvez porque aprendemos a voar juntos, e sozinhos, não precisávamos mais que um apoiasse no outro, aprendemos a usar o nosso par de asas individual, e agora era hora de cada um voar para lados diferentes... certos de que isso seria o melhor para nós. Pois também descobri que eu posso errar, ter duvidas, voltar atrás, admitir que errei, andar no meu tempo, ir em frente, tocar o barco e acertar de vez em quando. Mas que o principal é que eu sou única, e que devo estar sempre em primeiro lugar na minha vida, porque não tem como pedir devolução nessa vida, mas tem como fazer diferente, tem como ser feliz, mesmo que seja difícil através a mudança, pois muitas vezes O RUIM É BEM BOM... NÃO NA HORA, DEPOIS!!!!


Só podemos modificar a si mesmos.... e a nós, só podemos amar!!!!;)
Ps: A linda flor aí de cima é um ramo de...... BOLDO! rsrsrs .... Doido uma coisinha linda dessas nascer de uma amarguês de dar inveja!!!! Não deixe que a amargura do seu ramo de boldo evite que vc floresça delicada e linda!
Amo vcs!!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

Eh por isso e tantas outras coisas que eu te amo

P disse...

AMEI CICEI! PERFEITO!!! PERFEITO!!!

 

··¤(`×[¤Cicie e Ana¤]×´)¤··

"Insanidade é fazer as mesmas coisas, esperando resultados diferentes." Descobrimos que sozinhas não conseguiríamos, mas que com pessoas que buscam as mesmas vitórias, nos sentimos mais fortes,menos solitárias, e mais conectadas com nosso Poder Superior. Um dia de cada vez a gente junta um ano.

Free CSS Template by CSSHeaven.org TNB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...I