Retorno!!!Todas as respostas!!!! O caminho das Pedras...


Essa rede internáutica de recuperação (internáutica? rs...sem comentários), tem crescido muito nesse ultimo ano, cada dia surge mais um blog, feito por adictos ou co-dependentes, o que na minha opinião é ótimo, quando abri esse cantinho, e quando encontrei o blog Só Por Hoje, éramos meia duzia de gatos pingados, as informações dos www, eram muito rasas, se resumiam a falar que adictos eram dependentes químicos e co-dependentes era os familiares afetados, aliás a maioria dos blogs sobre o assunto eram de clinicas de recuperação. 
Hoje os blogs estão recheados do que é mais rico na recuperação, a própria recuperação,muitos dos que já faziam suas recuperações em irmandade como N.A; N/A; Nar-Anon; Amor-Exigente; A.A.; Al-Anon, trazem para a rede suas experiências do programa, e a forma de se praticar o 12ºpasso , começa a ter um poder de alcance infinitamente maior, nós não fazemos propaganda do que nos ajuda, mas ao nos ver bem, outras pessoas procuram as respostas que nós buscamos anos atrás e as que nos levou a uma sala de Nar-Anon (no meu caso) mas ás vezes isso pode atrapalhar muito mais do que ajudar.
Quando passei pela fase de adicção ativa do meu familiar, minha mãe me aconselhou a separar, ela dizia que ele não me amava ao ponto de ficar bem, ou não me amava porque abandonava a família pra usar drogas, mas nos momentos de crise, de depressão, de dor dele, eu conseguia ver que o homem que eu amava ainda estava dentro daquele corpo, preso num corpo que dependia do uso de drogas, infelizmente quanto mais ele usava, mais merda fazia, mais dor eu sentia, mais culpa ele sentia e daí mais ele usava pra aliviar a culpa, e mais dor eu sentia, pq mais merda ele fazia, e daí ele usava mais.... (corríamos em círculos viciosos). 
Quando ele não aguentou mais a "maratona da rodinha" (rs... to falando de correr em circulos viu!!!), ligou para um amigo meu, que já tinha se internado uma vez, pedindo ajuda, meu amigo o aconselhou a buscar ajuda em Narcóticos Anônimos, nós fomos no mesmo dia, e no mesmo dia ele se ingressou, no mesmo dia, enquanto meu marido partilhava eu sair pra fumar um cigarro, afinal achei que deveria respeitar a partilha do meu marido e deixá-lo a vontade pra falar, saí e um companheiro do grupo de N.A, logo saiu atrás de mim, olhou nos meus olhos e sem eu perguntar me contou que sua esposa também já havia chorado muito também,  ele agradeceu por eu ter chegado até ali com meu marido, que agora ele estava no lugar certo e me aconselhou a frequentar o Nar-Anon, anotou o nome da esposa e o telefone dela, me pediu pra ligar pra ela e combinar de encontrá-la na reunião, caso eu tivesse receio de chegar num grupo sem conhecer ninguém, mas que se eu quisesse as reuniões de Nar-Anon aconteciam naquela mesma sala ás quartas,eu não o fiz, durante um mês e meio a insanidade piorou demais, meu familiar ia as reuniões de N.A e não entrava, ou então dizia ir, mas mentia pra mim e ia usar, minha insanidade chegou a picos de 100% de ódio ( até hj tenho medo daquela Cicie, eu não achava que eu poderia ser uma pessoa tão insana), graças ao PS, os companheiros do meu familiar nunca desistiram nem dele e nem de mim, várias foram as vezes que eu fui levar meu marido numa reunião de N.A, e enquanto eu esperava no carro (é! meu defeito de controlar os outros chegava a esse ponto), alguns companheiros saiam da sala e vinham falar um um "oi" pra mim e pra Bebê (sim!!! Minha insanidade fazia eu esperar por duas horas dentro do carro com uma Bebê de 2 meses, num frio de quase 10 graus),é claro que eles sempre me lembravam que eu poderia frequentar o Nar-Anon, que isso ajudaria na recuperação do meu marido, e que me ajudaria a entender mais sobre tudo o que estava se passando em nossas vidas. Quando meu marido decidiu se internar,está aí um motivo pelo qual eu digo que as vezes o retorno pode não ser tão bom assim, nessa época meu familiar começou a encasquetar que precisava ser internado,e eu a encasquetar que não, ele achava isso porque alguns dos companheiros que ele conhecia já haviam sido internados, ele começou a acreditar que sem internação não conseguiria, e eu me apoiava nos que nunca tinha sido internados, e também na minha vergonha de "ter um familiar internado", nunca saberemos quem estava certo, o fato é que no momento da internação dele, o corpo médico da clinica aconselhou a familia a frequentar as reuniões de algum grupo de apoio a familiares de dependente quimicos, eles sugeriram na época o Nar-Anon, mas;disseram que havia também o amor-exigente, que nós DEVERIAMOS, buscar ajuda também.Da familia toda só eu fui , infelizmente as pessoas nunca tem tempo, ou acham que o problema da adicção do familiar não tem nada a ver com elas, sofrem feito cão de rua, choram, gritam com o familiar adicto, sofrem...sofrem...sofrem...procuram ajuda pra ele, acham clinicas, encontram os horarios das reuniões de N.A, levam no N.A., levam na clinica, compram roupas novas, enlouquecem qdo o adicto vende as roupas pra comprar drogas, mas Nar-Anon?Amor Exigente?Ajuda pra mim?Não Obrigada! Unf.!
Não foi uma caminhada fácil, cheguei no Nar-Anon, como muitas famílias chegam até os blogs hoje, querendo uma varinha mágica pra que ao tocar na cabeça do adicto ele curasse (ou na verdade apenas uma vara pra bater na cabeça dele mesmo! rs), eu pedia ajuda, dizia "O que eu faço??? O que faço???", o conselho era quase sempre o mesmo : "Continua voltando Companheira!!! O segredo tá na próxima reunião!".E eu voltava né! Na verdade muito mais pela curiosidade de descobrir o segredo!!! Que aliás... Nossa como eu precisava,  aquele Segredo Salvou Minha Vida!!! Podem acreditar!!!
Fui aprendendo que com muitos companheiros de N.A e de Nar-Anon, que retorno é algo que se sugeri, e não que seja lei, que cada um tem o poder de avaliar em si mesmo o que lhe foi sugerido, se alguém te sugerir tomar água com gás todos os dias, você tomaria? E se alguém sugerir que vc coma titica de galinha, que isso cura qq adicto, você comeria? No auge da minha doença eu comeria até a própria merda do adicto se alguém me dissesse que isso o salvaria, podem acreditar! 
Como também eu arrancaria o nariz dele com uma faca de rocambole pulmann, se alguém garantisse que sem nariz ele nunca mais usaria drogas! Graças a Deus, no meu caminho só apareceram pessoas boas, em busca de serem felizes e que entendiam que eu precisava era do programa, que eu precisava entender os passos, os lemas, a literatura, e dentro dela me encontrar.
Nesses últimos dias percebi o quanto podemos nos tornar responsáveis pela alegria ou pela DOR, do outro!
Um simples retorno, no ouvido de um "recém-chegado", pode causar um verdadeiro Tsunami, do outro lado da tela. Normalmente quando alguém me pergunta o que fazer, sugiro que a pessoa reflita o que é melhor para ela naquele momento (e normalmente as pessoas, já tem as respostas prontas, só precisam que alguém além delas lhe de apoio).
Só que eu vascilei, errei feio, só percebi isso quando meu nome apareceu num post:  Recaída - de uma pessoa que amo demais a ,  sugeri a ela que tentasse mostrar a pessoa que ela ama que não poderia ficar ao lado dele se ele não buscasse ajuda, pois isso - ficar ao lado dele na ativa - seria perigoso a ela mesma. Sim, ela abraçou minha sugestão, mas se cobrou demais - aliás se sentiu cobrada a ser "dura", e quando abriu mão de ir na reunião para se despedir do namorado que estava pra ser internado, sentiu isso como uma "traição", "recaída", ficou sei lá, com medo de mim, com vergonha de me contar.... Mesmo que eu não tenha feito pressão nenhuma (e disso eu tenho a consciência limpa), eu fui responsável sim, pelo sentimento de culpa que, se bobear, ela sentiu a noite toda! Fui responsável sim! porque não percebi as entre linhas, porque não percebi que muitas vezes um retorno pode ser apenas um retorno, mas também pode ser O retorno. Fui responsável sim! Porque ela ao menos não percebeu o quanto já é forte, o quanto já cresceu, e o quanto ela já estava buscando se encontrar!
Conversei com ela, expliquei que eu não sou a dona da verdade, que ninguém é, temos um sim um problema em comum e que as pessoas envolvidas nesse problema costumam ter qualidades parecidas, defeitos parecidos, mas que continuamos sendo pessoas diferentes, com histórias diferentes.

Desculpe Jé, me perdoa, eu e ninguém tem o direito de fazer você se sentir culpada por nada!!! Por NADA NESSE MUNDO! entendeu anjo? Me desculpa, eu não tinha a intenção de deixar você carregando essa mochilona aí nas costas, mas com intenção ou sem, não deixo de ter sido responsável, e ponto! Desculpe mesmo!


Reparações a parte, percebi essa semana que assim como nos grupos, e no mundo em geral existe muito palpiteiro, conselheiro, retorneiro, que as pessoas muitas vezes querem apenas ajudar, e acabamos colocando nas mãos dessas pessoas a responsabilidade pelas nossas vidas.
Dos muitos conselhos que recebi quando entrei em recuperação, alguns eu apenas escutei e fui coloca-los em pratica muito tempo depois, outros logo comecei a praticar: uns percebi que me serviam e outros abri mão, Alguns estão guardados até hoje, quem sabe um dia eu os use, ou apenas os passe adiante.
Quando minha mãe me aconselhou a me separar, eu não me separei, fiquei junto ao meu marido e vivemos uma jornada extraordinária de recuperação juntos, sim, hoje ele é ex-marido, estamos bem e nos separamos quando as coisas em nossas recuperações estavam bem (nos separamos para podermos continuar sendo felizes - louco né?rs), e hoje mesmo estando separada continuo frequentando o Nar-Anon, porque eu sinto que fui realmente afetada pelo uso de drogas de outras pessoas, percebo o quanto a familia do meu ex-marido ainda é afetada pelo uso de drogas que ele fez no passado, eles não buscaram ajuda e agora que ele está "sozinho", a mãe quase está ficando louca tentando "monitorar e controlar" a vida dele.

O melhor conselho até hoje que eu recebi e que coloquei em pratica foi buscar no Nar-Anon, as respostas pelas minhas perguntas, foi buscar o segredo naquela próxima reunião, e na próxima, e continuar buscando.
O mundo, e aliás eu faço parte do mundo viu, vai continuar sugerindo atitudes, dando retornos, mas cabe a cada um avaliar o que ouve,e o que fala também.... e colocar em prática o que acha melhor pra si. Existem pessoas ruins com conselhos bons, e existem pessoas boas com conselhos ruins.
Existe de tudo nesse mundo.... Até gente em recuperação! kkkkkk

Beijos, amo muito vcs, vcs me ajudam sempre, demais!

6 comentários:

Poly P. disse...

Fala sério, a gente adora "palpitar", não é mesmo?! Gostei muito do seu Post. Realmente nossas palavras podem, muitas vezes, prejudicar e não ajudarem, como é o propósito do meu blog, por exemplo. Atenção redobrada!
Menina, volta lá no post Esperança, e me explica o lance do pica-pau... kkkkkk
Te amo, flor!
Seu jeito de escrever é demais!
Feliz sexta-feira! Beijos.

disse...

Que isso amoreee...vc me ajudou e continua me ajudando muito, vc me fez enxergar que eu exagerei muito naquele dia e conseguiu tirar aquele peso de mim...
Te Amoo Cicie...Tamojuntas

Pro-Mut Programa Mutação disse...

Valeu companheira gostei...principalmente do seu Humor...+ 24 H.

VALEU A PENA disse...

Cicie, querida, se você tivesse noção do quanto seu blog me ajuda e me faz crescer... não tenha dúvida de que faz um ótimo trabalho aqui, eu amo a sua forma única de escrever...
Beijos

··¤(`×[¤Cici¤]×´)¤·· disse...

Tem bastante gente falando do meu senso de humor....
tava pensando...
A giu escreveu um livro... e realmente ela é boa escritora...
Acho que vou criar um stand-up comedy....
rs

Edna disse...

Muito bom, tenho lido alguns texto que tem me ajudado bastante. Obrigada!!!

 

··¤(`×[¤Cicie e Ana¤]×´)¤··

"Insanidade é fazer as mesmas coisas, esperando resultados diferentes." Descobrimos que sozinhas não conseguiríamos, mas que com pessoas que buscam as mesmas vitórias, nos sentimos mais fortes,menos solitárias, e mais conectadas com nosso Poder Superior. Um dia de cada vez a gente junta um ano.

Free CSS Template by CSSHeaven.org TNB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...I